Projeto Arquitetônico: Planta Baixa




    Esta planta é geralmente a primeira a ser elaborada, já que nela é onde ficam definidas as posições dos compartimentos, os espaços, dimensões, seus usos e ligações. Nas plantas baixas, além de indicar o projeto de interiores (layout), é também onde são indicadas os projetos de instalação elétrica e hidráulica.

    A representação da planta baixa e feita a partir de tudo que é visto a baixo de um corte a 1,50 do chão, podendo incluir portas, janelas, móveis, pisos e outros. O que houver de importante e que não aparece a baixo do corte de 1,50 pode ser representado a partir de uma linha tracejada.




    São diversos os tipos de linha que podem fazer parte de um projeto, de acordo com a NBR, podendo variar de linhas cheias a tracejada, traço ponto, traço dois pontos e outras, que explicarei mais profundamente em outro post.

 
   O conteúdo da planta baixa é muito mais extenso e completo que o das outras citadas anteriormente, já que esta tem uma função mais significativa que as outras, assim necessita de mais representações que as outras, para que todos que a leiam possam entende-la. 

Dessa forma, uma planta baixa deve conter a representação de:

  • Paredes (deve ter representação de destaque, para a fácil identificação dos espaços)
  • Pilares
  • Aberturas (Portas e Janelas)
  • Circulação

E quanto as informações, estas não podem faltar:


  • Escala: Normalmente 1/100, mas pode variar dependendo da dimensão do terreno;
  • Nomes dos ambientes e suas áreas;
  • Representação dos pisos nas áreas molhadas (Banheiros, Cozinhas e Áreas de serviços);
  • Equipamentos fixos (bacias sanitárias, pias, chuveiros, balcões e etc), o mobiliário não deve ser colocado no desenho arquitetônico, apenas na planta de Layout;
  • Medidas das aberturas dos vãos (portas, janelas e etc);
  • Projeção do telhado (se houver);
  • Nomear as projeções (Ex.: Projeção do Telhado);
  • Caso você perceba que a planta está ficando com muitas informações e deseje deixa-la mais limpa, opte por nomear as portas e janelas por P1, P2... e J1, J2... respectivamente, e, ao lado da planta baixa, faça uma tabela com os nomes e as suas devidas medidas;
  • Cota de nível dos pisos;
  • Marcação dos Cortes;
  • Orientação (Norte magnético ou verdadeiro);
  • Indicação de subida ou descida na escada e numeração dos degraus;
  • Acessos;
  • Cotas horizontais de cada pequeno detalhe necessário do projeto e suas cotas gerais;
  • Marcação do terreno, muro, plantas e objetos que estejam no terreno (Necessário apenas em plantas do térreo);

    Seguindo essas regras básicas, com dedicação e mais algumas prováveis exigências que seu professor poderá ter, com certeza vocês terão uma planta muito bem representada!



Manual do Arquiteto

3 comentários:

Instagram